ABRAIDI participa de uma série de atividades, reuniões e promove palestras durante a Hospitalar

Fonte: Doc Press Assessoria de Imprensa
29/05/2019

O presidente e os vice-presidentes da AdvaMed visitaram o estande da Associação e receberam a segunda edição da publicação "O Ciclo de Fornecimento de Produtos para Saúde no Brasil"

O Expo Center Norte, em São Paulo, recebeu a 26ª Hospitalar, entre os dias 21 e 24 de maio. A Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Produtos para Saúde – ABRAIDI – também esteve presente nesta edição e realizou em seu estande um ciclo de palestras, durante os quatro dias do evento. Os temas abordados foram retenção de faturamento, controle de estoque pelo Bloco K e Convênio ICMS 01/99; reuso de dispositivos médicos; compliance fiscal; o futuro da saúde e medicina; e rastreabilidade em hospital de referência.

img-noticia

O presidente Sérgio Rocha foi um dos convidados especiais da solenidade de abertura, ao lado de autoridades políticas nacionais e internacionais e outros representantes da indústria da saúde no Brasil. Durante a feira, o presidente e o diretor executivo da ABRAIDI, Bruno Bezerra, recepcionaram importantes visitantes no estande da Associação, entre eles, o gerente geral de Produtos para Saúde da Anvisa, Leandro Pereira, e o presidente da AdvaMed, Scott Whitaker, junto com os vice-presidentes, Ralph Ives e Steven Bipes, que receberam a segunda edição da publicação "O Ciclo de Fornecimento de Produtos para Saúde no Brasil" para os representantes da associação norte americana.

Sérgio Rocha e Bruno Bezerra fizeram ainda uma apresentação institucional sobre a ABRAIDI e sobre o setor de dispositivos médicos no Brasil para o presidente da Feira Medica, a maior do mundo, Wolfram Diener. Ele convidou oficialmente a entidade para participar do evento, que acontecerá entre 18 e 21 de novembro, em Düsseldorf, na Alemanha. Estavam presentes também o coordenador de Exportação Industrial da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), André Limp; a gerente da Messe Dusseldorf no Brasil (empresa que promove a feira médica alemã), Malu Sevieri; o superintendente da ABIMO, Paulo Henrique Fraccaro; e a coordenadora de Promoção Comercial da ABIMO, Larissa Gomes.

Retenção de faturamento, controle de estoque pelo Bloco K, Conve^nio ICMS 01/99

Com sala cheia, a ABRAIDI iniciou o ciclo de palestras na feira com o tema “Retenção de faturamento, controle de estoque pelo Bloco K, Convênio ICMS 01/99 e as alternativas para lidar com fluxo de caixa”. A advogada especializada no assunto, Hella Gottschefsky, explicou os reflexos de tais questões no dia a dia das empresas, principalmente com as novas obrigações como a estruturação do Bloco K, que acaba colocando as companhias em uma situação de maior vulnerabilidade. Ela salientou que o setor de saúde tem muito mais dificuldade de operacionalizar a atividade do que em outros setores de comércio em geral.

“Quando o ICMS é pensado pelos governos estaduais, para o comércio, mas não para um segmento tão específico como o da saúde. Onde quem compra não necessariamente é quem paga. No dia a dia dos hospitais, precisamos enviar mais produtos do que estão sendo pedidos porque não sabemos se vai haver necessidade durante a cirurgia, então utilizamos o ajuste SINIEF do Conselho Nacional de Política Fazendária. São inúmeros os pontos de atenção”, alertou.  Já o executivo do banco BTG Pactual, Felipe Ferraz, apresentou soluções financeiras para as empresas se organizarem e não ficarem vulneráveis às questões fiscais e de faturamento.

Reuso de Dispositivos Médicos

Também no primeiro dia do evento, a ABRAIDI promoveu a palestra “Reuso de Dispositivos Médicos’. A conferencista e enfermeira Ana Miranda, que trabalhou na Prefeitura de São Paulo e na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, e as convidadas Maria Virgínia Godoy da Silva, da Universidade Veiga de Almeida/RJ, e Cybele Ioshida, enfermeira da central de material e esterilização do Hospital Santa Catarina de São Paulo, explicaram o processamento e a limpeza de materiais pela ótica dos profissionais de saúde. “Para garantir o reuso, é preciso primeiro conhecer o produto. E quem conhece é quem fabricou ou distribuiu. Por isso, precisamos desta aproximação proposta pela ABRAIDI”, parabenizou Ana.

Compliance fiscal

No segundo dia de palestras, a ABRAIDI convidou os consultores tributários, Adriano Rodrigues e Dayane Amaral, da Diferencial Tributária, para a conferência “Desvendando o compliance fiscal: benefícios de estar em conformidade com a Receita Federal e os riscos da não conformidade”. Os especialistas falaram sobre a grande mudança, nos últimos anos, em relação à forma de fiscalização da Receita Federal; a importância da classificação correta dos produtos no código NCM; de a empresa ter uma matriz e uma agenda tributária; e os benefícios do cumprimento de prazos para a entrega de obrigações acessórias.

Para Adriano, "a falta de revisão constante do cadastro de produtos da empresa causa uma série de inconsistências fiscais e, consequentemente, custo com retrabalho e multas tributárias, que fazem com que a organização deixe de obter lucros", explicou. "A gestão tributária feita de forma correta, gera, inclusive economia, permitindo que a companhia invista em outros setores.", completou Dayane. O diretor fiscal da ANS e sócio diretor da Diferencial Tributária, Vinicius Lima, também esteve presente no evento junto com a gerente comercial, Sabrina Kramm.

O futuro da saúde e medicina

O terceiro dia contou com a presença do CEO da Suisse Life Science para América do Sul e mentor de programas de startups e empresas de base tecnológica do Sebrae/SP, Leonardo Gross, que falou sobre “O futuro da saúde e medicina: até onde a tecnologia pode nos levar”. O encontro foi aberto com breve fala do diretor executivo da ABRAIDI. “Estamos trabalhando pra qualificar os distribuidores e associados para que eles possam estar abertos às novas oportunidades que a tecnologia traz", destacou Bruno Bezerra.

Com uma grande plateia, Gross apresentou diversas novidades que já são realidade ou estão sendo estudadas ao redor do mundo. "É necessário pensar como ser relevante nessa nova economia. Como criar soluções, resolver problemas e gerar valor aos consumidores da saúde? Atualmente, dados são considerados o petróleo do setor de vocês. É preciso saber usá-los para antecipar as necessidades dos clientes", alertou.

Rastreabilidade em hospital de referência

O ciclo de palestras terminou com o tema ‘Rastreabilidade em hospital de referência: medicamentos, materiais e equipamentos’. Na abertura, o diretor técnico da Associação, Sérgio Madeira, lembrou que as empresas precisam se organizar para a implantação das etiquetas de rastreabilidade para uso no Registro Nacional de Implantes, até 2020, de acordo com a RDC 232. “As providências são exequíveis e os custos de implantação não são impeditivo. Está é uma padronização importante e pode ajudar o Registro Nacional de Implantes, que é fantástico, e trará melhora de qualidade no uso de DMI, especialmente os articulados e stents”, completou.

Em seguida, o representante da GS1 Brasil - Associação Brasileira de Automação, Marcelo de Sá, explicou os princípios da padronização, que começa pela identificação, captura e compartilhamento das informações. Apresentou os requerimentos globais de rastreabilidade para produtos para a saúde e enfatizou que “o foco está sempre na segurança do paciente”.

Encerrando o painel, o gerente de Automação e Logística do Hospital Albert Einstein, Nilson Malta, detalhou o processo de rastreabilidade do hospital, que é referência em difundir modelos de segurança no Brasil.


Voltar
 
 
NEWSLETTER
 
NOTÍCIAS